Você já se deparou com o termo ‘Conta Jurídica’ e se perguntou o que era e para que funciona? Essa pergunta não é só sua.

Contas Jurídicas e Contas Físicas são simples e você vai saber tudo sobre elas aqui. Confira o texto e saiba como abrir, como fechar e para que serve as duas modalidades de contas.

O que é uma Conta Jurídica e para que serve?

Uma conta jurídica, ou PJ, é aquela conta destinada às empresas, ou seja, que quando abertas precisam de um CNPJ ativo.

As funcionalidades e necessidades de uma conta PJ são diversas, mas as mais latentes acabam sendo:

– Poder pagar o FGTS, INSS e o PIS da empresa;

– Conseguir empréstimos de forma mais simples, rápido e fácil;

– Poder gerar pagamentos em nome da empresa (com CNPJ).

Isso tudo que listamos acima acabam sendo muito importantes para que sua empresa consiga ser vista como uma empresa no mercado.

Qual é a diferença entre Conta Jurídica e Conta Física?

A diferença é simples: a conta jurídica destina-se às empresas e a conta física é exclusiva para pessoas físicas, ou seja, possuidoras de um CPF.

Quem adquire a conta PJ acaba tendo uma visão de uma conta para empresas, em que vários benefícios serão feitos com foco em empresas.

Vale lembrar que quando citamos “empresa” estamos falando das que possuem pequeno, médio e grande porte. Claro, dependendo do tamanho da empresa, algumas funcionalidades podem variar, mas todas podem ter a conta.

A conta PF, de pessoa física, é destinada a qualquer pessoa com um CPF ativo. Alguns bancos não aceitam menores de idade, então vale sempre conferir se você, caso seja menor, pode abrir uma conta.

Esses dois formatos de conta não competem entre si, porque cada um possui sua funcionalidade específica. Logo, na hora de abrir a conta vale mais pesquisar sobre o banco e o que ele oferta, do que sobre a conta em si.

Como abrir uma Conta Jurídica em um banco?

Depende muito do banco, mas em geral o passo a passo costuma se repetir. Por isso, vamos separar esse processo de abertura em dois caminhos: a abertura nos Bancos Digitais e nos Bancos tradicionais.

Imagem de Ernesto Eslava por Pixabay

Bancos Digitais

Nos bancos digitais você consegue abrir uma conta de maneira relativamente rápida. Para isso, você precisará estar com os seguintes documentos em mãos:

  • CNPJ e Razão Social;
  • CPF do responsável;
  • Nome fantasia; grupo econômico (se houver), data de fundação e registro, principal atividade econômica (CNAE), tipo de controle (privado ou público), nº do registro no órgão, valor capital social, data da última alteração contratual, principais produtos da empresa;
  • Endereço comercial e de correspondência;
  • Sócios, acionistas, diretoria, representantes legais e procuradores (se houver);
  • Referências: clientes, fornecedores, bancária;
  • Modelo de tributação;
  • Documentos dos sócios, acionistas, diretoria, representantes legais e procuradores (aplicado para quem não for correntista PF do Banco Inter), documento de identificação e comprovante de endereço;
  • Faturamento dos últimos 12 meses ou previsão de faturamento;
  • Documento de registro da empresa (como Contrato Social, Estatuto Social, Requerimento de Empresário, dentre outros).

Depois, instale o aplicativo ou entre no site do determinado banco que deseja e entre com o pedido de abertura da conta.

Bancos tradicionais

Nessa opção é quase certo que você precisará ir até uma agência. Como esse processo é burocrático, a indicação é essa mesmo.

Se você é uma pessoa que prefere dessa forma e acredita que assim se sente mais seguro, nossa dica é que faça em um banco mais conhecido.

Os documentos são os mesmos e a agência costuma poder ser qualquer uma.

  • CNPJ e Razão Social;
  • CPF do responsável;
  • Nome fantasia; grupo econômico (se houver), data de fundação e registro, principal atividade econômica (CNAE), tipo de controle (privado ou público), nº do registro no órgão, valor capital social, data da última alteração contratual, principais produtos da empresa;
  • Endereço comercial e de correspondência;
  • Sócios, acionistas, diretoria, representantes legais e procuradores (se houver);
  • Referências: clientes, fornecedores, bancária;
  • Modelo de tributação;
  • Documentos dos sócios, acionistas, diretoria, representantes legais e procuradores (aplicado para quem não for correntista PF do Banco Inter), documento de identificação e comprovante de endereço;
  • Faturamento dos últimos 12 meses ou previsão de faturamento;
  • Documento de registro da empresa (como Contrato Social, Estatuto Social, Requerimento de Empresário, dentre outros).

Na presença de qualquer dúvida sobre os benefícios do banco que você deseja, indicamos que entre em contato diretamente com eles ou acesse o site da empresa.

Gostou das dicas? Para mais como essas, siga o —— e fique por dentro de tudo do mundo financeiro!